top of page

Como as mudanças na lei de direitos autorais impactam os criativos?.

O avanço da tecnologia, especialmente a popularização da internet, moldou novas formas de criação, distribuição e consumo de conteúdo. Com isso, a legislação autoral precisou se adaptar para equilibrar a proteção aos direitos do autor com as novas demandas do mercado digital. As mudanças mais recentes afetam diretamente os criativos, tanto positiva quanto negativamente.


"Ilustração representando os direitos autorais, com símbolos de copyright, livros, música e artes visuais.

Alterações Legislativas e Novas Definições.


  • Exclusividade de Direitos: A LDA (Lei 9.610/1998) assegura aos autores o direito exclusivo sobre suas obras, mas a modernização trouxe exceções, como as obras feitas sob encomenda ou a utilização para fins educacionais. A recente regulamentação do Marco Civil da Internet reforça os direitos dos criativos ao permitir que os autores retirem do ar conteúdos publicados indevidamente.


  • Direitos Conexos: Os direitos de intérpretes, produtores fonográficos e organismos de radiodifusão foram fortalecidos. Com a nova legislação, os criativos podem se beneficiar de melhor proteção e compensação financeira.


Gestão Coletiva de Direitos Autorais.


  • Fiscalização e Transparência: A Lei 12.853/2013 estabeleceu critérios mais rígidos para a gestão coletiva, garantindo maior transparência nas arrecadações feitas por associações como ECAD e SBAT. Isso beneficia diretamente os criativos, proporcionando uma distribuição mais justa dos royalties.


  • Streaming e Música Digital: O aumento dos serviços de streaming gerou uma nova fonte de renda para músicos e compositores, mas também levantou questões sobre a remuneração justa. A legislação agora tenta equilibrar os interesses dos artistas e das plataformas.


Ilustração horizontal estreita sobre gestão coletiva de direitos autorais, mostrando músicos, escritores e artistas visuais conectados em uma rede de proteção.

Exceções e Limitações.


  • Uso Justo para Educação e Cultura: A legislação agora permite a utilização de pequenas partes de obras protegidas para fins educacionais, respeitando-se a citação e a fonte. Isso impacta positivamente os criativos ao ampliar o alcance de suas obras em projetos educacionais.


  • Domínio Público: A LDA estabelece que obras caem em domínio público 70 anos após a morte do autor. No entanto, o processo de identificação dessas obras ainda é complexo, exigindo atenção dos criativos.


Proteção Internacional.


  • Convenção de Berna e Acordo Trips: O Brasil é signatário de tratados internacionais que oferecem proteção aos direitos autorais, permitindo que os criativos brasileiros reivindiquem seus direitos no exterior.



As mudanças na Lei de Direitos Autorais visam proteger e incentivar os criativos a continuarem produzindo suas obras. No entanto, é fundamental que cada criativo esteja ciente de seus direitos, especialmente no contexto digital, onde a distribuição e uso indevido de conteúdos ocorrem com mais frequência.


A proteção dos direitos autorais é um direito fundamental que promove a justiça, a transparência e a segurança jurídica. É essencial que os criativos continuem registrando suas obras e buscando apoio em entidades especializadas para garantir a correta remuneração e reconhecimento pelo seu trabalho.


Se você é um criativo e deseja proteger suas obras, conheça mais sobre nossos serviços no direitoautoral.com e registre seus trabalhos com segurança na blockchain!.


Ah, e só para não esquecer: tanto os textos quanto as imagens que adornam nosso blog têm seus direitos autorais devidamente registrados! Portanto, fica a dica: é proibido reproduzir, seja totalmente ou parcialmente, qualquer um desses conteúdos sem uma autorização prévia e por escrito. Proteja a criatividade, respeite o direito autoral!

Comentários


bottom of page